Violência Contra as Mulheres



2019-11-25
Neste dia de luto e de luta, em que se lembra a urgência da eliminação da violência contra as mulheres, importa, antes de tudo, pensar em quem já não se pode defender e em quem não foi defendida, nas 25 mulheres e 1 criança que morreram às mãos de quem era suposto amar e cuidar. 

Mas é importante também pensar nas que, não estando mortas, não estão propriamente vivas. Nas que sofrem sem conseguir falar, nas que são amachucadas, humilhadas, empurradas para um silêncio que cristaliza, para um véu de violência que, por não deixar nódoas negras visíveis, se espalha numa necrose mental e emocional que mata aos poucos. 

Um lamento profundo para as que já não estão. E um abraço enorme para as que, estando, vivem com medo ou com dormência. A minha porta estará sempre aberta para elas.